04.08.2017

Se há uns anos atrás me lessem o futuro... não acreditaria. Quem diria que os meus planos de miúda e de adolescente sairiam sempre furados, me levariam à ruptura e deixar-me onde estou. Sei que me dirias que tenho um boa vida e que "queriam muitos viver assim", mas avô, tu sabes que não é isto que quero e nem o que ambicionavas para mim. Sim, apesar de ser pequenina quando te perdi, ainda me lembro de alguns gestos teus e sempre me revivaram a memória com as tuas histórias. Por isso, avô, sei que querias o melhor para os teus netos. E eu não estou no meu melhor. A minha vida parou no tempo, mas o relógio continua a dar as suas voltas. Não queria isso para mim e continuo a esforçar me para que isso mude. Mas sabes, avô, não é fácil. Não é fácil remar contra a maré, muito menos quando já cai à água tantas vezes. Mas quero... quero que um dia te possas orgulhar de mim... e farei de tudo para que esse dia chegue.

publicado por aquela às 00:59 | link do post