07.06.2013

Sempre pensei que custasse mais estar distante de quem se quer do que de quem se tem. Mas estava enganada, pior é ter-se alguém longe.

Saber que se a distância não existisse, que poderia estar ali, no momento, perto de tal pessoa, custa muito mais.

Aprende-se o que é a verdadeira saudade.

A recordação torna-se a nossa melhor amiga.

Vive-se e revive-se dentro da nossa cabeça.

Damos por nós a falar sobre o que já se passou e a criar planos para o futuro. Aquele futuro que depois nos espera, quando a distância funde-se numa proximidade que tanto se espera.

Contam-se os dias como uma criança que risca os dias que faltam para o Natal.

Todos os momentos tornam-se verdadeiros contos de fadas, em que eu, cada vez mais, me pareço com uma princesa e ele como um verdadeiro príncipe.

A realidade parece utópica.

Habituamo-nos a viver com recordações, de recordações.

 

Tudo isto poderá parecer uma estupidez ou demasiado infantil, mas a verdade é que o amor faz destas coisas.

publicado por aquela às 17:33 | link do post | comentar