29.02.2016

Ontem não consegui deixar de chorar ao passar pela tua foto. Nunca pensei que fizesses tanta falta. Sim, sei que somos apenas comuns mortais e que o fim acabará sempre por chegar. Mas porquê agora? Porquê a ti? Sinto que, no fundo, já sabias o que te esperava, mas não querias assustar ninguém com essa certeza. Esperas-te que nós fossemos enfrentados com a realidade pura e crua, como o foste à uma data de anos atrás.

Sabes, admiro imenso o teu esforço e a tua capacidade de viver. Agradecias todos os dias pelo que tinhas e, se pedias, era tudo para os outros. Nunca quiseste mais do que tiveste, nunca quiseste dar trabalho. Apenas querias ver os teus bem.

Admiro-te tanto... 

publicado por aquela às 11:28 | link do post | comentar