03.06.2012

" Há pessoas com as quais conseguimos entender o que preseguem, e depois existem outras como tu, que parecem incompreensiveis. Talvez no fundo exista uma certo gostinho especial em não te perceber, talvez quissesse mesmo que assim fosse. Não gosto de coisas demasiado fáceis, não nos dá o gosto da vitória, de atingir algo. Contudo, o facto de estar longe não facilita, complica em excesso, faz apenas com que exista um tempo de espera indeterminável, um tempo morto. E neste tempo, eu já conto dois anos, anos que foram em momentos rápidos, outros que se passaram lentamente à espera que te visse.

Agora, estou eu a olhar para a céu, vendo as estralas e a lua que cresce de dia para dia e a pensar se tu também fazes o mesmo, se também pensas em mim naquele momento. Queria saber se também olhas na noite para a lua, pensando que esta é a única coisa que nos liga fisicamente naquele momento, pois a lua que vês é a mesma que vejo.

 

Quem me dera que existissem poderes para ler mentes, quem me dera saber o que estás a pensar agora, quem me dera saber o que queres, quais são os teus sonhos, quem me dera saber se alguma vez suspiras-te por mim..."

publicado por aquela às 18:21 | link do post | comentar